quarta-feira, 3 de abril de 2013

10 Bolsas das Grifes Mais Desejadas

A paixão das mulheres por bolsas é bem antiga, muito! E mulher que é mulher de verdade não sai sem uma bolsa. Pelo menos na minha concepção de mulher perua, bolsa é quase um membro do corpo, tanto que eu faço bolsas por puro prazer (quem sabe um dia esse prazer me traga lucros). 

Separei 10 modelos de bolsas "It Bags" ("It" é um termo fashion para determinar tendência. Existem também as "It Girls", que são aquelas meninas ligadas ao mundo da Moda, as famosas fashionistas).  Além dos modelos, vamos ver um pouco da história da grife de cada bolsa.

Não achei e nem quiz procurar os preços, para que vocês optem mesmo por comprar minhas bolsas. rs. Brincadeiras à parte, falando sério: essas bolsas são desejo de 9,5 a cada 10 mulheres em sã consciência, rs.

1. Bolsa Rosa modelo Papier - Balenciaga 
 A grife Balenciaga foi criada pelo estilista espanhol Cristóbal Balenciaga. A marca pertence ao Grupo Gucci desde 2001. Cristóbal Balenciaga mudou-se para a França (Paris) em 1937 e ali montou sua casa de costura. Cristóbal Balenciaga é conhecido por seu perfeccionismo. As bolsas Balenciaga, na sua grande maioria são de tamanhos grandes e bem espaçosas. Vemos muitas executivas utilizando no dia-a-dia as bolsas Balenciaga.


2. Bolsa Laranja modelo Boy - Chanel
A grife Chanel, foi criada pela estilista francesa Gabrielle Bonheur Chanel (mais conhecida como Coco Chanel, apelido dado pro seu pai). Gabrielle foi filha de pai feirante e mãe doméstica. Através de um casamento com o milionário Etienne Balsan, montou sua primeira casa de alta Costura em meados de 1910. Fez sucesso mesmo após os anos 20 e ficou famosa ao redor do mundo inteiro. Veja no blog a matéria sobre a moda dos anos 1920: http://migre.me/dXUhD.  As bolsas Chanel, são conhecidas e desejadas ao redor do mundo todo. As bolsas Chanel mais utilizadas são de tamanhos menores, ideais para festas e eventos mais formais.

3. Bolsa Verde Esmeralda modelo Serpentini - Bulgari   
 Atualmente a grife Bulgari é usualmente escrita como BVLgari (estilo Romano Grego). É uma grife de jóias e objetos de luxo, fundada em 1884 por Sotirio Bulgari (descendente de gregos). A grife BVLgari entrou para a lista de grandes Grifes Internacionais, quando Constantino Bulgari (filho fe Sotirio Bulhari) apresentou um par de brincos feitos com diamentes, Safiras, Rubis e Esmeraldas na Exposição de Artes e Joalheria em Paris, no ano de 1925. Então, ter uma bolsa BVLgari é como ter uma jóia de luxo em mãos. 

  
4. Bolsa Pink modelo Marcie - Chloé

A grife Chloé é considerada a favorita no universo jovem. Fundada em 1952 por uma parisiense (novidade) Gaby Aghion, nascida no Egito, de beleza negra e estilo próprio., fundou a grife com seu sócio, Jacques Lenior. Como toda grife famosa, a Chloé virou uma grife de queridinhas como Brigitte Bardot, Grace Kelly, Maria Callas na década de 70. Para dar um "up" na marca, em 2002 a nova diretora de criação, Phoebe Philo assumiu o comando (sua antecessora era Stella McCartney, herdeira de Paul McCartney, claro) e lançou no mercado a primeira coleção de Bolsas, sapatos e artigos de couro da Chloé. A bolsa modelo Paddington virou ícone de moda, levantando assim a grife e aproximando-a das estrelas "Teens".


5.  Bolsa modelo Trapeze - Céline
A Célie é uma grife Francesa, criada em 1945 por Céline Vipiana, juntamente com seu marido. A intenção era criar uma marca de calçados infantis e sim, ela abriu sua primeira loja na Rua Malte em Paris. As coisas tomaram outro rumo e atualmente a marca Céline é conhecida por bolsas, que são desfiladas pelas celebridades do mundo todo.  

 
6. Bolsa modelo Grenville Collection - Christian Dior

Após a Segunda Guerra Mundial, um homem tímido transformou o mundo da moda. Sim, estamos falando nada mais, nada menos que de Christian Dior, um dos maiores estilista do mundo. Quando todos queriam simplicidade e conforto, ele propôs luxo e feminilidade. Em 1947, Christian Dior apresenta o seu "New Look", uma coleção totalmente contraditória à moda da época. Cinturas marcadas, saias amplas, ombros naturais. Christian Dior morreu em 1957, mas é sinônimo de elegância e feminilidade até hoje.  

7. Bolsa bordô modelo 2 Jour Elite Tote - Fendi
A grife Italiana Fendi foi fundada em 1925 por uma família italiana, formada por Adele Casagrande e seu marido Edoardo Fendi. Após a morte de Edoardo em 1954, cada uma das seis filhas de Adele assumiu um departamento da empresa. Em 1965 o designer alemão, Karl Legerfeld juntou-se à Fendi e criou o "FF" invertido, que se tornou o logotipo da marca. Hoje, a grife conta com mais de 100 lojas em todo o mundo, inclusive na Quinta Avenida em Nova Iorque.  

 
8. Bolsa Modelo Constance - Hermés
Sim, Hermés é uma tradicional grife francesa (me admiraria muito se não fosse da França ou itália, rs), criada em 1837 por Thierry Hermés. No início era uma produtora de arreios para cavalos e depois passou à produzir artigos de luxo. A grife Hermés é especializada em objetos de couro, até por seu passado. A empresa hoje é 75% da família Hermés e 25% negociada na bolsa de Paris desde 1993. Também tem participações nas marcas de sapatos John Lobb e na grife de roupas Jean-Paul Gaultier. Em Setembro de 2009, abriu sua primeira loja Hermés no Brasil, no Shopping Cidade Jardim. 


9. Bolsa modelos Cervo Fringe Tote - Prada
 Prada ficou popularmente conhecida através do filme "O Diabo Veste Prada", que eu particularmente sou apaixonada. A grife foi criada em 1913 por Mario Prada e Fretelia Prada em Milão, Itália. Em 1989, apresenta sua primeira coleção de roupas com tecidos tecnológicos e diferentes. Além de Prada o grupo em 1992, lançou a grife Miu Miu, sua segunda linha, com preços mais acessíveis e voltada para o público jovem. Em 1995, foi a vez da moda Masculina e em 1997 a Prada Sports, linha esportiva de roupas. Logo depois, expandiram a linha para sapatos e perfumes. Os preços desta grife podem variar de U$$200 à U$$15.000.  Eu penso que o "diabo" que é um pobre coitado pode vestir Prada, porque não nós filhos e filhas do Rei, rs. 

10. Bolsa modelo Sofia Coppola - Louis Vuitton
Eu até encho os olhos de lágrimas para falar da grife Louis Vuitton. Meu objeto de desejo, sonho de consumo, fissura é uma bolsa da Louis Vuitton. Mais que uma grife, Louis Vuitton é uma lenda. A Louis Vuitton, nasceu na França (clarooooo) em 1821 em uma pequena família de carpinteiros. Aos 14 anos,Louis Vuitton decide viajar a pé para Paris (400km) para aprender à trabalhar com madeira.  Com isso foi contratado para trabalhar criando baús de viagem para a alta sociedade. Louis Vuitton tentava sempre adequar qualidade e beleza, sendo pioneiro no que fazia. 

Em 1851 quando era levado ao Palais des Tuilleries para embalar as bagagens da imperatriz Eugênia, esposa do Imperador Francês Napoleão III, sua sorte começava mudar. Em 1854, fundou a Maison Louis Vuitton Malletier no centro de Paris, criando um tecido super resistente e impermeável, como uma lona, substituindo o tradiconal e fedorento "Couro", que na época tinha essa fama de mau-cheiroso. Em 1876, mudaram a lona cinza por um modelo Trianon beges e marrons, para evitar imitações. A marca cresceu, Louis Vuitton faleceu em 1936, o poder passou para a mão de seus filhos e em 1987, a empresa foi vendida para o magnata francês Bernard Arnault, criando o LVMH (Louis Vuitton Moët Henessy), maior aglomerado de grifes luxuosas do planeta. 

Em 1997, Arnault contratou o estilista americano Marc Jacobs (super renomado hoje) para dar um "Upgrade" na marca e lançar novos produtos como sapatos, relógios e roupas e logo de início, Marc Jacobs mostrou que veio para ficar. O CEO da Louis Vuitton é o francês Yves Carcelle, que apesar de não ter o sangue dos Vuitton, exerce seu cargo de forma brilhante. Neste ano de 2013 deixará o carpo após 22 anos. Ele transformou uma rede de 125 lojas para 456 ao redor do mundo. Em seu lugar, entrará o espanhol Jordi Constans. Não é à toa que a marca é a campeã em falsificações em todo o mundo. Apaixonante a história, não é mesmo?

Super Beijo e até a próxima =D